dimanche 28 novembre 2010

Inutilité



Inutilidades imateriais,
sempre se achando melhores que as outras
assim, tolas,
sem aprofundamento
sem pagamento
O pagamento é sempre a carne
a carne, material
que sofre os danos das inutilidades,
que não existem,
que não mentem
Se escondem, ligeiras e incertas
como se tudo fizesse sentido de uma hora para outra,
como se tudo fosse muitíssimo fácil
Ah!, rumores, meus amores
quem diria que de longe
eu poderia perceber essas incertezas traiçoeiras,
de longe,
e me convencer
- pobre e ingênua -
que são lindas,
distintas!
E cheias de traços retilíneos
facilidades loucas e cheias,
sem teias,
sem razão
sem matéria
sem carne.

dimanche 7 novembre 2010

Musique

"Estava tocando uma música do Chico Buarque, e ele parou na porta, ficou ouvindo por instantes de olhos fechados e disse: "Se a música é o alimento do amor, toquem mais e mais para que o amor se empanturre e morra". Depois abriu os olhos, notou o efeito que sua frase tivera nos cabeleireiros, todos víboras com almas sensíveis agora transformados em estátuas boquiabertas, e ordenou que voltassem ao trabalho e que se abaixasse o volume da música."
A Décima Segunda Noite